Samsung Galaxy A5 2017: vale a pena em 2022?


Em Janeiro de 2017, a Samsung lançou um aparelho intermediário ao mercado que mais se aproximaria do Samsung Galaxy S7 em termos de design: estou falando do Galaxy A5 2017, um smartphone intermediário que na época trouxe mudanças visuais e funcionais em relação à gração passada, entregando bom desempenho e um design interessante. Seu preço de lançamento era bastante alto, porém o aparelho foi ficando mais barato e atrativo ao longo do tempo, fazendo mais sentido adquirir este modelo. Hoje em dia não é tão difícil encontrá-lo no mercado de usados por preços realmente baixos, tornando-se interessante para quem busca um aparelho usado simples para uso geral. Mas será que ainda vale a pena utilizá-lo em pleno 2022? É isso que eu gostaria de contar a vocês.


Introdução

Um ano após lançamento do Galaxy S7, a Samsung lançou o aparelho intermediário que poderia ser uma versão mais econômica do S7, trazendo características visuais que lembravam muito o modelo topo de linha de 2016. O Galaxy A5 2017 era a versão posterior da linha Galaxy A de 2016. Ela trouxe algumas novidades em relação à geração passada, como a proteção IP68 contra água e poeira, a inclusão de uma porta USB tipo C, mais memória RAM e um visual com cantos arredondados como na linha S7, além de oferecer melhor desempenho. Ele estava disponível em versões com 32 e 64GB de armazenamento interno e rodava o Android 6 de fábrica.


O que vinha na caixa

O A5 2017 não acompanhava muitos acessórios, ou melhor, ele oferecia aquilo que era comum de se esperar de um telefone intermediário. Dentro da caixa tínhamos o aparelho acompanhado por um par de fones de ouvido intra auriculares, uma chave para extrair a bandeja do SIM card, um carregador Fast Charging de 10 watts, alguns panfletos e guias de inicialização e, por fim, mais nada na caixa. 

Conteúdo da caixa. Fonte: GSDome.

Conhecendo o aparelho

O Galaxy A5 possuía um visual que lembrava muito o Galaxy S7 na versão Flat. Na parte superior havia um microfone para cancelamento de ruído mais uma bandeja pra adicionar um SIM Card e um cartão microSD, enquanto que na parte inferior existem uma saída para fones de ouvido, um microfone principal e um conector de carga USB tipo C. Já na lateral esquerda encontram-se os botões de volume e uma bandeja com espaço para mais um cartão SIM (sim, ele era dual Chip). Já na lateral direita temos o botão liga/desliga e a saída de som. 

Na parte frontal, temos  o sensor de digitais, dois botões retroiluminados de navegação do sistema para voltar e acessar os apps rcentes, a câmera frontal, o sensor de luminosidade e proximidade e, por fim, o alto falante para realizar as chamadas telefônicas. Na região traseira, temos a câmera principal e um flash de LED simples.


Ficha técnica

A seguir você pode conferir as principais especificações técnicas do aparelho:

  • Marca: Samsung;
  • Modelo: Galaxy A5 (2017) SM-A52F/DF;
  • Processador: Exynos 7880 com 8 núcleos ARM Cortex-A53 de 1.9Ghz;
  • Memória: 3GB;
  • Armazenamento: 32GB;
  • Tela: SuperAMOLED de 5.2 polegadas em resolução FullHD 16:9 (1920x1080 pixels);
  • Câmeras: principal de 16MP com abertura f/1.9 e frontal de 16MP com abertura f/1.9;
  • Bateria: não removível com capacidade máxima de 3000mAh;
  • Sistema Operacional: Android 6 (Marshmallow);
  • Dimensões: 146.1 x 71.4 x 7.9 mm (GSM Arena);
  • Peso: 157 gramas (GSM Arena);
  • Recursos adicionais: proteção IP68 e Corning Gorilla Glass 4, carregamento rápido de 18 Watts, sensor de impressões digitais, Bluetooth 4.2 e suporte ao Samsung Pay e Always-On Display.


Primeiras impressões

Design e acabamento

O Samsung Galaxy A5 2017 foi um dos últimos modelos da marca sul coreana que ainda possuíam a mesma identidade da geração passada, com o botão home posicionado na frente e a tela em proporção 16:9. Muita gente, assim como eu, confundia ele com o Galaxy S7, principalmente na cor preta, pois de longe são quase idênticos. Outro detalhe que eu notei logo no início foi em relação ao acabamento. É curiso como os aparelhos intermediários de cinco anos atrás possuíam um acabamento melhor e mais bonito que os modelos atuais. Aqui temos uma traseira em vidro, com bordas em metal e frente em vidro 2.5D para completar o charme do aparelho.


A ergonomia é um ponto bastante positivo, pois sua traseira é feita em vidro com uma leve curvatura nas laterais, facilitando o manuseio com uma mão. Aqui temos um telefone que perde em poucos milímetros para as dimensões de um Galaxy S10e, que é considerado um dos Smartphones mais compactos até o momento, juntamente com o iPhone 12 e 13 mini. Então espere boa ergonomia e dimensões sem exageros, mesmo com o baixo aproveitamento de tela de apenas 71,5 por cento (GSM Arena).


O Galaxy A5 estava disponível em quatro cores: gold sand, black sky, blue mist e peach cloud. Eu adquiri a versão dourada, que embora todas as cores sejam bastante bonitas e reluzentes (prefiro a preta), existe uma vantagem nessa cor: as marcas de dedo não ficam tão aparentes como nas versões em preto e azul, por exemplo.


Tela

O Galaxy A5 2017 vem equipado com uma tela SuperAMOLED de 5.2 polegadas e resolução FullHD, que entrega um contraste excelente e cores levemente saturadas. Na época essa tela chamava bastante a atenção pela sua qualidade de imagem, mas hoje em dia pode ser que ela não surpreenda tanto assim. Apesar disso, 424 dpi e vidro 2.5D são mais que satisfatórios para proporcionar imagens com boa nitidez, toque suave e baixo consumo de energia, mesmo com o Always-On Display.


Desempenho

Apesar do peso da idade, ele ainda consegue funcionar muito bem durante o uso diário, embora os travamentos surgem a partir do momento em que mexemos de forma mais frenética, digamos assim. Aplicativos mais comuns como calendário, Google Chrome, YouTube, Facebook, Whatsapp, Telegram e Instagram funcionam normalmente com poucos engasgos, enquanto que jogos menos casuais como o Real Racing 3, Call of Duty Mobile, PUBG e Asphalt 9 rodam com gráficos no mínimo e baixa taxa de quadros.


Por outro lado, o A5 mostrou bom desempenho dentre os aparelhos da sua época ao executar ferramentas de benchmark como o GeekBench, onde alcançou pontuações muito próximas de alguns modelos intermediários de entrada, como o Galaxy A21S. Em games mais antigos, como o Dead Trigger 2, Asphalt 8 e Sim City Buildit por exemplo, ele consegue rodar muito bem, inclusive com gráficos elevados, baixa temperatura e taxa de quadros acima de 30 FPS. Falando em temperatura, esse é um ponto positivo, pois o A5 mesmo sob carga de uso elevada esquenta muito pouco.


Bateria

Aqui temos um ponto de destaque do aparelho, pois a autonomia é bastante satisfatória. Talvez ele seja um dos smartphones com bateria de 3000mAh de capacidade com a maior autonomia. Alguns testes como os realizados pelo Tudo Celular relataram que o dispositivo era capaz de aguentar até 17 horas de streaming e mais de um dia de uso geral, números realmente impressionantes. O modelo que eu estive em mãos estava com a bateria original, porém deteriorada devido ao tempo de uso prolongado de aproximadamente 4 anos. Mesmo assim ela ainda teve fôlego para aguentar mais de 3 horas de tela em mais de um dia de uso leve/moderado.


Câmeras

Aqui temos um ponto que não se destaca, na minha opinião. Tanto a câmera frontal quanto a traseira possuem 16MP de resolução com abertura f/1.9. Ela oferece qualidade de imagem razoável, não tão boa quanto na linha S7 e S8, porém ainda é possível fazer belas fotografias durante o dia. Durante a noite o ruído de imagem é perceptível, porém a velocidade do obturador não é muito agradável. Fotografias noturnas sem "tremedeiras" é um desafio e tanto para o Galaxy A5 2017. E a estabilização óptica também faz falta para criar vídeos mais suaves, além da ausência da gravação em 4k e 60 quadros por segundo.


Sistema Operacional

O Samsung Galaxy A5 2017 foi lançado com o Android 6 (Marshmallow) e foi atualizado até o Android 8 (Oreo). Ele utiliza a interface Samsung Experience na versão 9.0, sucessora da antiga TouchWiz. Ela possui algumas funções que foram reaproveitadas na OneUI, como o gesto para gravar a tela com a palma das mãos, a central de manutenção do sistema, a barra de jogo, os apps nativos, tela dividida, modo de uma só mão, Samsug Pay, Always-On Display entre outras características. A interface evoluiu bastante em relação à TouchWiz, trazendo pouquíssimos bloatwares e melhor desempenho. 

Com o passar das atualizações, o sistema ficou mais refinado e bonito, porém um pouco mais pesado, que é algo que podemos notar devido à menor autonomia de bateria em comparação com o Android 6 e aos maiores engasgos durante as multitarefas. Mesmo assim, fiquei bastante impressionado como o sistema ainda funciona bem, mesmo nos dias atuais. Executar tarefas cotidianas é algo totalmente capaz no Samsung Galaxy A5 2017. A única coisa que não gostei foi o fato do sistema não suportar o modo escuro, recurso que faz todo sentido com uma tela AMOLED.

Apesar de fortemente customizado, o sistema é bastante bonito, relativamente leve e de fácil utilização. Quem vem da OneUI, certamente não sentirá dificuldades em utilizar a Samsung Experience, assim como que vem da Samsung Experience e migrou para a OneUI. Por falar em OneUI, é curioso como este modelo, assim como seu irmão mais potente, o Galaxy S7, não receberam o Android 9 (Pie), mesmo com especificações de Hardware totalmente compatíveis, mas um Galaxy J6, modelo inferior em muitos aspectos, recebeu. Enfim, é a obsolescência programada em ação...


Conclusão

Nos últimos anos, eu tive a oportunidade de manusear diversos aparelhos antigos dos segmentos intermediário e topo de linha, como o Sony Xperia Z3, o LG Nexus 5X, o Samsung Galaxy A30, o Asus Zenfone Max M1, o Motorola Moto G5S e o iPhone 6S. De todos esses aparelho datados entre 2015 e 2019, não há dúvidas de que o Galaxy A5 2017 oferece um dos melhores custo benefício, se não o melhor. Não é difícil encontrá-lo no mercado de usados na faixa dos 300 reais em bom estado de conservação. Por esse preço, você terá em mãos um aparelho que entregará um conjunto muito equilibrado. 

As câmeras, o desempenho geral, a autonomia de bateria, a tela SuperAMOLED e os recursos adicionais serão mais que satisfatórios quando consideramos a pequena faixa de preço que podemos encontrar. O Samsung Galaxy A5 2017 ainda tem fôlego para encarar os aplicativos populares de mídias sociais e comunicação, e caso essas sejam as suas pretensões com o aparelho, então sim, vale a pena considerar este modelo, mesmo em 2022. Ele será mais fácil de encontrar e provavelmente mais barato que um Nexus 5X e um Xperia Z3 nas mesmas condições de uso, por exemplo.

Gostei bastante do design e da ergonomia do A5. O tamanho relativamente compacto e os cantos arredondados, juntamente com o vidro traseiro curvo, transmitem melhor ergonomia, além de caber em qualquer bolso sem muita dificuldade. O sensor de digitais na frente consegue ser uma solução melhor que qualquer outra já adotada e os botões de volume e power em lados separados eliminam aquela confusão comum de pressionar os botões errados.

Se alguém tinha aquela dúvida se ainda vale a pena adquirir um este smartphone parar realizar algumas tarefas cotidianas e rodar alguns joguinhos, saiba que a resposta é sim, pelo menos por enquanto.

E é isso pessoal! Espero que tenha ajudado de alguma forma. Se tiver alguma dúvida, curiosidade ou sugestão, comente aqui embaixo.

Até a próxima e valeu!

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como corrigir o problema da biometria no Samsung Galaxy A30 e derivados

Como instalar aplicativos incompatíveis no iPhone 4, 5, iPad 3 e similares

iPhone 6S em 2021: ainda vale a pena?

Como recolocar uma película de Smartphone/Tablet sem deixar resíduos

Como transformar o cartão SD em memória interna

Como obter as imagens em destaque da tela de bloqueio do Windows 10

Melhores Apps para Escrita

Como instalar o Chrome OS Flex no PC

Como corrigir a falha do dual boot do Manjaro após a atualização do Windows

Como corrigir problemas de conexão Wi-fi no Manjaro Linux ou Fedora