Analisando o Lenovo Ideapad 330S 81JN0000BR

Em meados de 2018, a Lenovo ampliou a linha de notebooks da família Ideapad com o lançamento do notebook ultrafino Ideapad 330S. De lá pra cá a fabricante chinesa lançou muitas versões com várias combinações de armazenamento, processador e GPU para este modelo. Recentemente, tive a oportunidade de aposentar o meu antigo Samsung Essentials E34 e adquirir uma máquina mais poderosa e versátil, mas sem deixar de lado o custo-benefício, e nesse caso optei pelo modelo 330S 81JN0000BR, o qual gostaria de deixar um pouco das minhas impressões a respeito deste laptop.

Introdução

Para quem não conhece, o Lenovo Ideapad 330S (S representa o design Slim do produto) é um notebook ultrafino projetado para uso diário aliando estilo com desempenho consistente e bom custo-benefício. Com um design mais minimalista e ao mesmo tempo elegante em relação ao restante da família Ideapad, temos como destaque a presença de uma tela infinita de 15.6 polegadas, isto é, com bordas mínimas, acabamento em alumínio na região superior e dimensões reduzidas em relação ao Ideapad 330, além da cor azul bem característica (também é possível adquirir o 330S na cor prata em outros países). Ao longo do tempo, surgiram muitas variantes modelo, onde a princípio tínhamos uma versão com processador i5 e 1TB de HD e outra com i7 e SSD, além de outras leves mudanças, mas com o passar do tempo surgiram outras versões como as novas versões equipadas com o processador AMD Ryzen 5 ou Ryzen 7 de segunda geração.

Características

Dentro da caixa, encontramos apenas um carregador, um guia de primeiros passos e o notebook, além de muito plástico. Pesando aproximadamente 1.8 Kg, o Ideapad 330S 81JN0000BR possui uma tela com bordas finas de 15.6 polegadas com abertura de até 180 graus, acabamento antirreflexo, tecnologia TFT LCD iluminada por LED e resolução HD de 1366x768 pixels (infelizmente). Também temos um teclado não retroiluminado na cor cinza com o padrão ABNT2 e um LED indicador para o botão Num Lock e Caps Lock. Também há um LED para o botão Power, tanto na lateral quanto no próprio botão. Temos ainda duas portas USB 3.1 tipo A energizadas, uma porta USB 3.1 tipo C, uma saída HDMI, um leitor de cartões SD, uma saída de áudio combo e uma trava Kensington, além da entrada para o carregador, conexão Wi-fi 802.11ac e Bluetooth 4.1. O destaque fica para a WebCam de 1.3MP com dois microfones e um LED indicador, permitindo realizar videoconferências em alta definição com qualidade de áudio e vídeo bastante razoáveis para esta categoria.


Desempenho

Por dentro, temos um processador Intel Core i5 8250U com 4 núcleos e 8 threads, 8GB de memória DDR4 2400 Dual Channel (4GB soldados + 4GB), 1TB de HD, slot M.2 NvMe e uma GPU dedicada AMD Radeon 535 de 2GB de memória GDDR5, tudo isso alimentado por uma bateria de 3 células e 52.5Wh com carregamento rápido. É um conjunto bastante versátil, permitindo executar as tarefas do dia a dia com bastante fluidez e até mesmo é possível encarar alguns jogos. Embora esta não seja a proposta do notebook, a presença da GPU dedicada Radeon 535 oferece desempenho muito próximo ao de uma GeForce MX110 ou uma AMD Radeon Vega 3. Portanto, a combinação i5 8250U + Radeon 535 permite rodar vários títulos como o GTA V, Devil May Cry 5, Battlefield 1 entre outros. Em meus pequenos testes, fiquei surpreso com o resultado. Foi possível rodar alguns títulos como o GTA V e o Devil May Cry 5 com os gráficos em médio/baixo, resolução nativa da tela e mais de 30 quadros por segundo. Não esperava tais resultados em uma máquina básica/intermediária como esta.



A bateria oferece autonomia suficiente para aguentar várias horas assistindo Netflix ou navegando na Web ouvindo música. Em meus testes, consegui utilizar o computador durante 4 horas de uso intensivo navegando na Internet, instalando programas, ouvindo música e assistindo vídeos no YouTube, com o brilho da tela em 40 por cento e tudo ao mesmo tempo. Já em uso mais moderado, ouvindo música e editando documentos, é possível ampliar esta duração para até 6 horas com o brilho da tela no mínimo. E o carregamento mostrou-se bastante rápido, carregando a bateria de 7 a 100 por cento em menos de uma hora e meia. Nada mau.

O sistema de refrigeração fica localizado em uma região que não agrada muito os usuários, pois fica escondido em uma região entre o teclado e a tela, de frente para a dobradiça. De fato, esta posição não é das melhores em termos de dissipação de calor, mas mesmo assim o sistema mostrou-se muito competente. Em meus testes de uso diário, mesmo em dias quentes com mais de 30 graus de temperatura ambiente, dificilmente obtive temperaturas de CPU e GPU acima de 70 graus, mesmo jogando, e o mais importante: sem sofrer nenhum tipo de throttling agressivo como ocorre com os Ryzen 5 e 7. Esta marca é muito boa, inclusive melhor que o meu antigo Essentials E34 que sob as mesmas condições ultrapassava os 75 graus. O único incômodo que encontrei foi um leve aquecimento próximo às teclas WASD que pode ser ruim no verão, mas pode ser bom no inverno.



Acabamento

O acabamento é um detalhe que me chamou a atenção de forma positiva. A carcaça mostrou-se muito firme e silenciosa. Não ouvi nenhum tipo de rangido durante o transporte ou abertura/fechamento da tela. O plástico é de boa qualidade e sem nenhum entalhe, tudo bem encaixado. Ele possui a tampa superior em alumínio e o restante é construído em plástico, tudo na cor azul. A textura é agradável, porém um tanto quanto lisa, portanto é preciso tomar um certo cuidado para não escorregar nas mãos. Ela deixa marcas de dedos com relativa facilidade, mas a cor escura da carcaça ajuda a camuflar. E, por último, em relação às dobradiças da tela, elas permitem ângulos de abertura de até 180 graus e a pressão da molas é firme na medida, sem oferecer resistência excessiva durante a movimentação da tela, como ocorre em alguns notebooks, aumentando a vida útil do componente.

Pontos Positivos

O primeiro ponto positivo que eu notei desde a primeira vez em que o vi foi o seu acabamento. Ele não deve nada em relação aos seus concorrentes. Para quem gosta de cores que fogem do padrão, a cor azul é muito bonita e a carcaça flexiona com pouca facilidade, porém mesmo quando isso ocorre, não ouvimos nenhum tipo de ruído. Outro ponto positivo fica por conta do conjunto de Hardware, tornando um equipamento muito bem equilibrado e versátil para o uso diário. Dá para fazer um pouco de tudo com ele. Senti falta apenas de um SSD e uma GPU mais potente, algo como uma Radeon RX540 por exemplo. O sistema de som não é tão forte quanto seus concorrentes, mas a presença da certificação Dolby Audio faz diferença, pois é possível ouvir com o volume ao máximo de forma limpa e com baixa distorção. Não senti muita diferença em relação ao sistema SonicMaster presente nos modelos da Asus.


Pontos Negativos

Nem tudo são flores. Existem alguns pontos que o Ideapad 330S peca na qualidade, como é o caso do touchpad e da tela. Não que o touchpad seja realmente ruim, pelo contrário, a sensação de deslize é bastante confortável e precisa, mas o problema fica por conta dos botões físicos localizados abaixo dele. A sensação de clique é realmente estranha, pois eles transmitem um barulho fora do comum, como se estivessem quebrados, principalmente quando clicamos nas laterais do touchpad. Em relação à tela... Bem... Pode-se dizer que é preciso se acostumar com a baixa definição que ela proporciona. Ela é bonita e bastante elegante com as bordas finas, mas a resolução HD é de chorar. Para quem utilizou telas FullHD ou 4K sabe o que estou dizendo. As imagens apresentam muito serrilhado e o gamma é exagerado (felizmente dá para diminuir com o assistente do Windows 10). O terceiro ponto que não gostei foi o teclado. Ele é relativamente firme e responde bem aos toques, mas as dimensões reduzidas pesaram bastante para ele. Por um lado, temos botões de controle de mídia dedicados, por outro, não temos uma série de botões dedicados em razão do espaço reduzido. Por exemplo, para acessar os botões Home, End, PageUp e PageDown, é preciso pressionar a tecla Fn e os botões Ctrl direito e de menu simplesmente não existem. Eu testei os teclados do Samsung Essentials E34, do Asus Z450 e do Dell Gaming G3 e, na minha opinião, o teclado do Ideapad 330S é um dos piores entre eles. Talvez se a Lenovo tivesse optado por um teclado convencional com mais botões dedicados e melhor espaçamento entre eles em detrimento do teclado numérico, poderia ser uma opção melhor.



Conclusão

Depois de utilizar o 330S por alguns dias, foi possível extrair algumas considerações finais. De fato, o Ideapad 330S não é um notebook perfeito, aliás, ele possui uma série de pontos que eu considerei como sendo negativos e positivos. Portanto, é um computador realmente equilibrado em termos de vantagens e desvantagens, mas posso dizer que a maior vantagem no momento talvez seja o seu preço. Por cerca de 2 mil reais, é difícil encontrar algum modelo que supere este aqui. Até mesmo o seu irmão mais novo, o Ideapad S145, custa mais caro, mesmo na versão mais simples equipada com o processador Core i5 8265U, 8GB de memória e 1 TB de HD, sem placa de vídeo dedicada. A diferença de preço entre eles é o suficiente para permitir a aquisição de um SSD de 240GB ou um pente de memória de 8GB. No meio de tantos notebooks da Acer, Samsung ou Dell equipados muitas vezes com processadores Core i3 de sétima ou oitava geração e 4GB de memória custando quase 2 mil reais, o Ideapad 330S, apesar de ser mais antigo, ainda possui fôlego para enfrentar os modelos básicos mais novos.

Você poderá conferir em breve alguns testes de jogos com o aparelho.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como controlar as músicas do Spotify com a Mi Band 2/3

Como controlar a câmera com a MiBand 3/4

Como corrigir problemas de conexão Wi-fi no Manjaro Linux ou Fedora

Como recuperar o Boot do Windows 8/8.1/10

Como recolocar uma película de Smartphone/Tablet sem deixar resíduos