[Guia] O que você precisa saber na hora de comprar seu HD - Dicas da Net

Dicas da Net

Tudo sobre o Mundo da Tecnologia.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

[Guia] O que você precisa saber na hora de comprar seu HD

HD, hard disk, disco rígido ou winchester são alguns dos nomes deste famoso dispositivo. Mas… Para que ele serve? Quais são suas características? O que preciso saber na hora de comprar?
Neste guia iremos responder resumidamente essas perguntas para que você sinta-se seguro na hora da compra.


Começando …
O HD é um dispositivo físico que armazena os dados utilizadas no computador. Todas as suas músicas, seus vídeos, documentos e jogos estão gravados no HD.





Capacidade de armazenamento (ou “tamanho do HD”)

Hoje encontramos facilmente HDs com “tamanho” que varia de 160Gb (esse modelo já está deixando de ser fabricando) a 1500Gb (1.5 Terabyte). Mas afinal de contas, o que isso significa?
1GB corresponde a 1024MB160GB correspondem a 163. 840MB
Em um HD de 160Gb você pode guardar:

- aproximadamente 33.000 músicas em MP3- aproximadamente 235 filmes (DivX\Xdiv 700Mb)- aproximadamente 839.000 imagens ou fotos (1024 x 768 @ 200K)

Estrutura interna de um HD

Internamente, um HD possui basicamente um (ou mais) pratos (platters) que giram sob um eixo (spindle) e uma cabeça de leitura (Head). Pra fazer o disco girar existe um pequeno motor. Quanto mais rápido o prato for girado pelo motor, mais informações poderão ser lidas ou escritas pela cabeça dentro de um espaço de tempo. Você já deve ter ouvido o termo “HD de 7200RPM”. Isso significa que o motor daquele HD consegue girar o prato 7.200 vezes em um minuto.

As informações são gravadas no prato. Quando você dá um duplo clique numa música, por exemplo, a cabeça de leitura vai procurar a múscia no prato, ler os seus dados e passar a informação pra placa controladora do HD.A placa controladora é quem faz a parte interna do HD “conversar” com a placa-mãe do seu computador. Veja na figura abaixo que existem dois cabos ligados ao HD: o vermelhinho é o cabo de dados (ele faz a troca de informações entre HD e placa-mãe). O outro é o cabo de energia. Ele é ligado na fonte de alimentação do Computador.


Interfaces de Comunicação

Existem hoje dois padrões de “comunicação” que são usados na computação doméstica. Uma “Interface de Comunicação”nada mais é do que a “forma” como os dados são transferidos do HD pra Placa-Mãe e vice-versa.


PATA (Parallel Advanced Technology Attachment)

Conhecida também como IDE ou ATA. Transfere os dados de forma “paralela”, ou seja, mais de um dado é enviado ao mesmo tempo, paralelamente. Essa interface está em fim de carreira e já está sendo substituída pelo padrão SATA

Ainda podemos encontrar discos PATA no mercado. Funcionam com velocidade máximas teóricas de 100MB/s (ATA-6) ou 133MB/s (ATA-7). A não ser que sua placa-mãe não tenha um conector SATA e você não queira trocá-la agora, não aconselhamos a compra de um HD IDE.



SATA (Serial Advanced Technology Attachment)

O tecnologia de comunicação paralela transfere várias informações ao mesmo tempo. O problema é que com o aumento da velocidade de transferência de dados surgem interferências. Por isso o padrão PATA deixou de ser desenvolvido, e apareceu o SATA …
O padrão de comunicação serial caracteriza-se por transferir apenas uma informação por vez. Aí não corremos o risco de ela sofrer interferência quando aumentamos a velocidade de transmissão.

A tecnologia SATA se baseia neste princípio. Apenas uma informação é transferida por vez mas com uma velocidade muito grande. Isso permitiu o aumento do valor da taxa de transferência máxima. O padrão SATAI pode transferir até 150MB/s enquanto o SATA II chega a 300MB/s. Saindo do forno temos o SATA III que atingirá taxa de transferência máxima de 600 MB/s.




Outras definições importantes

Taxa de Transferência: Basicamente é a taxa de dados que o disco rígido PODE enviar para o computador. É medida em MB/s (Megabytes por segundo). Quanto maior a taxa de transferência mais rápida será a comunicação do HD com a placa-mãe e vice-versa. Hoje os HDs SATA II, que transferem 300MB/s, são os mais recomendados.

Taxa de Dados Sustentada: É a taxa de dados que o disco rígido CONSEGUE enviar continuamente durante um certo período de tempo para o computador.

Buffer: O HD é de longe o dispositivo mais “lento” do computador. Sendo assim é vantajoso a existência de um dispositivo mais rápido que o HD para realizar trocas rápidas de informação com a placa-mãe. O buffer nada mais é do que uma memória cache onde as informações mais relevantes são guardadas. Hoje encontramos no mercado HDs que possuem buffer de 2Mb, 8MB, 16MB e 32MB. Teoricamente, um HD com 32MB de buffer terá melhor desempenho, mas um modelo com 16MB será bem satisfatório.

Rajada: Refere-se à taxa de dados que é transferida para o buffer (é normalmente a mais alta que o disco rígido atinge).Densidade: É a quantidade de Megabytes por centímetro quadrado que o prato consegue armazenar. Quanto maior for a densidade, mais dados um prato consegue armazenar.MTBF (Mean Time Between Failure): É o tempo médio entre falhas divulgado pelo fabricante, que pode servir como um indicativo do tempo de vida do componente ou do tempo de vida útil antes de alguma falha grave. Este número não é um bom parâmetro, mas em teoria, se o MTBF de um disco é maior que o outro, o mesmo deveria ter uma vida útil maior ou demorar mais tempo para apresentar um problema.

Smart (Self-Monitoring Analysis and Reporting Technology): Tecnologia presente nos HDs que permite prever defeitos antes que eles ocorram, permitindo ao usuário tomar providências com antecedência. A tecnologia SMART consegue detectar, em média, 65% dos erros que acontecem com os discos rígidos.

Latência: É o tempo que a cabeça de leitura gasta para chegar até o dado que ela procura. No pior dos casos, será o tempo que o disco gasta pra dar uma volta completa. No geral, os fabricantes publicam dados de latência média dos seus produtos, que correspondem à meia-volta do disco. Hoje a maioria dos HDs possuem latência abaixo de 5ms. Pra valores maiores que esse, vale a pena procurar um teste de desempenho do Disco.
Tempo de Busca: Tempo necessário para a cabeça se mover de uma trilha para outra. Porém, os fabricantes informam somente o tempo de busca médio que pode ser interpretado como o tempo que, a partir da requisição de um dado, o disco rígido demora pra encontrar determinado dado em um local qualquer do prato. O valor normalmente é indicado em milisegundos (ms). Recomendamos HDs com tempo de busca médio abaixo de 9ms.
NCQ (Native Command Queue): Tecnologia na qual a controladora do disco utiliza o tempo ocioso para reorganizar a fila de leitura permitindo uma otimização geral do disco.

Conclusões

Para comprar um HD, a WAZ sugere que você procure a seguinte configuração:

- tamanho mínimo de 160Gb- rotação mínima de 7200RPM- interface SATA II (taxa de transferência de 300MB/s)- buffer de pelo menos 16Mb- tempo médio de latência abaixo de 5ms- tempo médio de busca abaixo de 9ms- preferencialmente que possuam as tecnologias SMART e NCQ

Qualquer marca vendida na WAZ que obedeça a essas configurações irá atendê-lo bem. Consulte nosso site ou vendedores para pedir sugestões, e informe-se sempre sobre a garantia de cada modelo e marca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tire suas dúvidas, deixe um comentário!